O conceito de SDS (Software Defined Storage) não é novo, mais a proposta de valor apresentada pelos fabricantes sim.
A ideia de uma solução altamente escalável que reduz drasticamente os custos de armazenamento tem começado a atrair a atenção das empresas e você precisa aproveitar esse momento.

Mas afinal de contas, o que é SDS?

De uma maneira simples, trate-se de uma solução que tem como objetivo reduzir a complexidade do armazenamento de dados das empresas por oferecer maior flexibilidade, escalabilidade e economia.

A ideia do SDS é ser gerenciado por aplicativos capazes de fazer essa alocação de armazenamento dos recursos de hardware com base no uso e na carga de trabalho do próprio software, independentemente do mesmo ser virtualizado ou não.

Além disso, essa solução pode ser utilizada sob demanda, com base em políticas automatizadas.

Por que devo discutir isso com os meus clientes?

A proporção da Necessidade de Storage X Budget Anual de TI vem crescendo exponencialmente a cada ano desde 2010.

Isso acontece principalmente porque as empresas possuem orçamentos que não crescem de acordo com a evolução dos requerimentos de armazenamento de dados. O que torna a automação por software cada vez mais importante e fundamental pois adotando o Software-Defined Storage (SDS), as empresas de TI corporativa podem adicionar capacidade para alguns nós por vez para que, à medida que a demanda aumenta, o armazenamento possa crescer para atender à demanda — ao contrário de ter que investir em mais hardwares para arrays de armazenamento tradicionais.

O SDS permite mais flexibilidade em seu modelo de aquisição e custos de armazenamento significativamente mais baixos, já que rompe o ciclo de vida tradicional do hardware e o modelo tradicional de dispositivo de armazenamento. Com o software separado do hardware, os clientes podem adquirir o hardware e o software independentemente. Os clientes podem implementá-lo no hardware de sua escolha ao invés de ficarem restritos a uma plataforma estreita de hardware patenteado.

Junte essas vantagens ao estudo internacional encomendado pela SUSE, e conduzido pelo Instituto de Pesquisa Britânico Loudhouse, e revelou que 95% das empresas pesquisadas expressaram interesse na abordagem de armazenamento flexível e que quase dois terços, ou seja, 63%, disseram que devem adotar de fato o armazenamento definido por software nos próximos 12 meses.


Referências de pesquisa: Computer World | CIO


Autor (a): Dalton Daniel, Gerente de Produtos na Acorp do Brasil.


Facebook | Linkedin | Twitter